LADING

As estrelas e as crianças anunciam a Nova Era

Vemos aqui e acolá, principalmente nas redes sociais, anúncios da chegada de uma “nova era”. Nova forma de ver a vida, nova forma de se relacionar com o outro, nova forma de lidar com a natureza e assim por diante… Mas da onde vem essa onda? Será que não passa de conto da carochinha? Bom, talvez não. E pode ser que você seja um dos personagens principais para o início dessa nova era. Ou seu filho. Ou a pessoa que esteja ao seu lado. Tudo começa pela infância.
Será que você foi uma das crianças Indigos, Cristal e… Starseeds? Quem serão os autores dessa nova fase da humanidade? E por que essa “nova era” merece sua atenção?
Tudo começa com as estrelas
Nós somos poeira cósmica, uma parte ínfima do Universo, mas que se relaciona com o todo de maneira quase orquestral. E o que acontece lá no céu influencia – e muito – o que fazemos e como fazemos. Não estou falando de astrologia, mas sim de ondas magnéticas que podem explicar o porque temos tantos anúncios dessa nova era e como, cada vez mais, é possível ver crianças mais empáticas, sensitivas e amorosas.
Recentemente, astrônomos como Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Sola, Edmund Halley, divulgaram estudos que fizeram ao longo dos anos. Com cálculos minuciosos, eles chegaram à conclusão de que o Sistema Solar gira em torno de uma estrela, Alcione, que está na constelação chamada Plêiades.
Nosso Sol, que tanto veneramos, é apenas a oitava estrela dessa constelação e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione.
Mas não estou falando apenas da dança cósmica. Alcione, assim como nós, possui um anel de radiação. Porém, como você pode imaginar, essa radiação é poderosa a ponto de criar um cinturão de fótons (que é a decomposição de um elétron, a melhor partícula de energia eletromagnética).
O Sistema Solar, a cada dois mil anos, entra nesse anel de fótons e fica mais próximo de Alcione. E eu tenho uma notícia para você: acabamos de entrar novamente nesse anel – a chamada Era de Aquário se inicia.
Sob a influência dos fótons, todas as moléculas do nosso planeta (inclusive as suas) passam por uma transformação para se adaptar a esses novos parâmetros de energia. Se nossas moléculas vibram de maneira diferente, conseguimos ser diferentes, perceber além do mundo material e palpável. E algumas pessoas já estão “vindo de fábrica” adaptadas a esses novos parâmetros.
As crianças Indigo foram um presságio…
Estar sintonizado com essa nova energia é ser de uma nova era. Nos meios da psicologia e da espiritualidade se fala das crianças Indigo e Cristal, que podem ajudar a Terra a entrar de maneira mais fluída nessa nova vibração. Além de outra onda que vem por aí: a das Starseeds.
Vamos começar pela primeira onda: as crianças índigo.
A identificação de crianças índigo, que têm tendência a certos atributos psicológicos e espirituais, foi popularizada pela parapsicóloga de San Diego, Nancy Anne Tapp, na década de 1970. O New York Times informou que Tappe notou o surgimento de crianças com uma cor vibracional que ela nunca havia visto antes – uma que coincidia com uma nova marca de consciência. Índigo refere-se à aura (campo eletromagnético) em tons de índigo que esses jovens emitem.
Posteriormente, em 1999, os psicólogos Lee Carroll e Jan Tober publicaram The Indigo Children – o que popularizou ainda mais o termo. As conversas relatadas por Carroll com uma entidade espiritual chamada Kryon consolidaram o conceito de crianças índigo não apenas entre o público em geral, mas também com uma variedade de médicos, educadores e psicólogos. De acordo com o livro de Carroll e Tober, as crianças índigo “chegam a saber quem são – para que sejam reconhecidas, celebradas por suas qualidades excepcionais e guiadas com amor e carinho”.
Já durante o período 2004-2008, as crianças vieram com uma mistura de índigo e da aura de cristal. As nascidas entre 2009 e 2012 nasceram com auras de cristal totalmente desenvolvidas e corpos físicos totalmente cristalizados. As crianças nascidas em 2013 são cristalizadas tanto na aura quanto no corpo físico, além do cordão energético que as liga aos outros seres. Elas são, portanto, muito conscientes de com quem passam o tempo e por quê.
As crianças cristais são conhecidas por seguir seus corações, quase como idealistas, em um mundo limitado e perturbado por materialistas. Isso significa que as crianças cristal tendem a fluir com consciência, em vez de forçarem a vida e as dificuldades em busca do sucesso material. Seu objetivo final parece estar firmemente estabelecido para tornar o mundo um lugar melhor. Como as crianças índigo, as crianças de cristal também exalam uma persona de “alma velha”.
A última onda que veio… das estrelas
As crianças Starseeds – também chamadas de crianças estelares – representam o grupo que dizem ter sido enviadas para cá de todas as áreas do universo para ajudar a Terra e a humanidade. É relatado que eles possuem habilidades psíquicas, espirituais e outras habilidades extra-sensoriais, e são trazedores de paz, defensores de sistemas corruptos e deslocadores da consciência dimensional, agora e no futuro.
Steven Aitchison, autor do livro 100 maneiras de Desenvolver sua Mente, escreveu que nos últimos 40 anos, mais ou menos, a Terra passou por uma nova onda de energia, uma chamada de alerta que leva a uma nova dimensão da existência de maior consciência e maior espiritualidade. Ele escreveu: “As crianças Starseeds desempenham grande parte dessa onda coletiva, dessa mudança de energia. Elas estão bem cientes do motivo de estarem aqui e têm muitas habilidades que o ser humano não possui.”
E eu aposto que você já encontrou uma dessas. Ou até mesmo se sinta assim… Você já deve ter percebido que as crianças de hoje simplesmente não se enquadram naquele modelo que ontem era chamado de “normalidade”. Estamos recebendo crianças que estão contribuindo com uma nova maneira de interagir, viver e se relacionar. Quer você acredite na existência dessas crianças ou não, elas estão inegavelmente nos levando a um maior senso de responsabilidade de um pelo outro.
Hora de olhar para dentro
Pois é, chegou um novo campo de percepção para todos. Entretanto, só aqueles que aprenderem a ver as coisas de uma outra forma que irão conseguir viver em harmonia com essa nova onda eletromagnética. É hora de olhar para dentro e observar: como eu me relaciono comigo mesmo(a)? Como eu me relaciono com o outro? Como vou querer me comportar nessa nova era e como posso aprender com as crianças que, simplesmente, são guiadas pelo amor e pela intuição?

Deixe um comentário

Bitnami