LADING

Você respeita seus ciclos?

Identificar os ciclos que se encerram e aqueles que se iniciam é um passo importante para qualquer um que queira uma vida mais serena. Imagina se a cada “morte”/término nos déssemos por vencidos? Que a jornada chegou ao fim? Há uma esperança a cada vez que algo ou uma parte nossa morre. A esperança de que um novo ciclo se inicia.

Começo, meio e fim

Sim, cada um tem sua jornada. O que pode ser um grande fim para mim, pode ser apenas um passo tranquilo para você. A jornada é única, assim como as reviravoltas que ela dá – uma mais importante que a outra, quer elas pareçam banais ou não.

Muitas vezes não paramos para analisar todos esse inícios e fins que a nossa vida já deu. Pare e pensa: quantos ciclos sua vida já completou? Para te ajudar, vamos elencar por “categorias”:

  •       Ciclos de trabalho
  •       Ciclos de amizade
  •       Ciclos de hobbies
  •       Ciclos de amor
  •       Ciclos de estudos
  •       Ciclos de interesse…

Claro, temos uma essência e algumas coisas “não mudam” radicalmente. Mas todo dia devemos deixar parte de nós morrer para descobrirmos novas potências que já existem dentro de nós. Contudo, não espere que vamos saber com detalhes se o que está acontecendo neste momento é a cena final. Que é o corte final.

Os ciclos se encerram – e se iniciam – na naturalidade da vida. Quando deixamos os acontecimentos fluírem, sem expectativas com o futuro e nem se agarrando ao presente. Parece fácil, mas pede um grande trabalho e retrabalho interno.

Não se agarre ao presente

Uma das principais razões pelas quais não somos receptivos à mudança é porque conhecemos muito bem nosso estado atual e, ao longo do tempo, ficamos bastante confortáveis e intimamente apegados a ele (mesmo que ele não esteja nos fazendo bem).

Considerando que o nosso próximo ciclo é algo que não sabemos como ele se moldará, como resultado, experimentamos emoções de medo desconhecido, preocupações, tensão ou pânico ao aceitar ou mesmo tentar essa mudança.

Nós, como seres humano e sociais, somos condicionados a viver em uma zona de conforto, onde nos sentimos seguros e protegidos. E mudar significa trazer perturbação para essa zona de conforto, para a qual nossa mente simplesmente não está preparada para aceitar. Ela, na verdade, não tem a capacidade de imaginar as infinitas possibilidades da nossa vida.

No entanto, a cada etapa da vida, a mudança é inevitável. Portanto, agora cabe a nós escolhermos aceitar, nos adaptar ou lutar com a mudança que ocorre.

Mas como?

Bom, vamos para algumas atitudes/pensamentos que podem nos ajudar a enxergar e, principalmente, aceitar esses ciclos.

  •       Compreenda que a mudança faz parte da vida. Nossa mentalidade de aceitar a mudança de boa vontade nos faz evoluir como pessoa e nos ajudará a nos desenvolver e transformar junto com ela.
  •       Veja que as mudanças na vida nos tornam mais fortes. Quando agarramos a oportunidade de sair de nossa zona de conforto, isso mostra nossa preparação para enfrentar tempos mais difíceis.
  •       Observe que cada situação, mesmo que altere sua vida, acontece por um bom motivo, mesmo que possa não parecer assim naquele momento.
  •       Alinhe suas expectativas, seja realista e honesto consigo mesmo, nunca espere muito da vida (até porque ela pode entregar MUITO além do que você espera) e esteja sempre preparado para que a vida mude repentinamente a qualquer momento.
  •       Tenha a mente aberta para mudar e encontrar pontos positivos na situação alterada.
  •       Investigue por que você não gosta de mudanças. Existe algum motivo genuíno ou é apenas algum medo desconhecido que o está incomodando?

Mudança é a base da vida e, portanto, devemos cumpri-la, gostemos ou não.

Observe e aceite os ciclos

Para encerrar, lembrei de uma fala conhecida de Param Pujya Dada Bhagwan, um líder espirtual indiano: “A vida mundana significa que a vida está sempre mudando. Então, onde está a necessidade de [se preocupar] com “isso vai acontecer” ou “aquilo vai acontecer”? Por que ter um apego por aquele [alguém] que mostra respeito por você num dia e desconsidera no outro?

Vale a pena ter um apego a um elemento eterno que permanece constante durante o período de três tempos – passado, presente e futuro, que é a sua própria “natureza” (real).”

Por que se preocupas com o futuro se mal conhecemos o presente?

Prepare a terra, sempre há sementes a germinarem.

 

Deixe um comentário

Bitnami