LADING

Push and pull factor: o desafio como oportunidade

Como é possível ler o livro da vida sem virar as páginas?

O ciclo da história é, à grosso modo, sempre o mesmo: ascensão, hierarquia/bem estar e queda. Roma, Grécia, Egito… Várias civilizações (e até mesmo a nossa, globalizada) viveram e vivem isso. A via que liga todas essas histórias é… o ser humano, que precisa fazer esses movimentos. Vivemos em um mundo modernizado, tecnológico. Mas a maneira com que vivemos continua a mesma. Você deve estar se perguntando: como assim? Podemos explicar facilmente com um conceito muito discutido ultimamente, principalmente para discutir sobre migração, mas que podemos levar para nossa vida cotidiana: push and pull factor.
Quando você compreendê-lo, muitos movimentos da vida começarão a fazer ainda mais sentido.
Push and Pull factor: da política ao dia-a-dia
Globalização, crises econômicas, instabilidade política, conflitos, guerras, desigualdade social, economia de mercado, discriminação e os processos mais amplos de transformação, especialmente nos últimos dez anos, foram e ainda são os principais motivos para uma onda ainda maior de mudanças pulsantes: desde uma onda de pessoas deprimidas ou ansiosas, até ondas de migrações.
Quando observamos os push and pull factors vemos duas faces da mesma moeda que irá mostrar como nós, seres humanos, funcionamos a partir de influências externas (e internas).

Mas o que são esses fatores?

Push Factor: Fatores que nos causam pressão, que destroem as nossas estruturas ou, pelo menos, nos faz repensar sobre elas. Quando sentimos essa pressão, nós devemos sair da zona de conforto – que a gente queira, quer não. Lembrando que esses termos são utilizados quando falamos de migração, mas que acontecem rotineiramente na nossa vida:

· Perda de emprego ou dificuldade de encontrar um
· Fim de um relacionamento
· Padrões repetitivos e tóxicos
· Doença
· Depressão
· Crises de ansiedade / pânico e assim por diante

Se identificou com algumas dessas situações?

Pull Factors: Tais fatores podem ser compreendidos como o polo oposto do Push Factor. Ou seja: é a hora que, a partir dessa saída da nossa zona de conforto, colocamos as nossas ideias em prática.
Por exemplo, você perdeu o emprego e não consegue arranjar outro (push factor). Depois da desilusão, você só tem uma saída: começar a perceber a razão pela qual “as coisas não estão funcionando”.
Então, você começa a perceber que o emprego que você tinha antes nem era tão satisfatório assim. Que, na realidade, sempre te falaram que você era ótimo em fazer as apresentações da equipe. Eureka! Você vai atrás de um curso de oratória e começa a explorar esse seu lado. Faz cursos online, fala com pessoas, vê vídeos no YouTube sobre isso, lê livros… Depois de todas essas ações você percebe o quanto a oratória faz muito mais sentido para você do que o trabalho anterior.
Em um dos cursos que você fez, você conhece um pessoal que organiza palestras para grandes empresas. Eles vêm um potencial grande em você e o convidam a ministrar uma palestra online. Na primeira palestra, você já vê o quanto tudo aquilo fez sentido. Após isso, convites surgem e… Parabéns, um emprego novo!
Ora, veja: se não fosse a perda do seu emprego anterior, você: não saberia realmente no que é bom, não conheceria mais gente, não buscaria se aperfeiçoar/estudar… Ficaria ali, na zona de conforto, fazendo a mesma coisa todos os dias.
Surfando na SUA onda
É preciso deixar claro que os fatores push e pull nunca são iguais para todos. Isso pode mudar dependendo da classe social, gênero, etnia, idade, capacidade física e assim por diante. As razões pelas quais eles mudam também precisam ser explicadas.
Mas o que está por trás de tudo isso é… a mudança. Muitas vezes ficamos na inércia da vida, esperando que tudo aconteça ou caia nas nossas mãos. Assim como nas civilizações, temos ciclos: ascensão, bem-estar e queda. É só com a queda que vem a ascensão. O que devemos trabalhar é nos tornarmos a nossa melhor versão: a cada queda. A cada ascensão. E, principalmente, desfrutar de quando alcançamos algo. Por que a vida é assim: ela nos cria curvas no caminho, que são ferramentas para alcançarmos o nosso potencial máximo.
Não adianta fugir. A mudança sempre vem. Assim que a mudança o encontrar e pegar, ela começará a desafiá-lo e o forçará a mudar, e você deve lidar com isso com muita sabedoria para atingir seus objetivos e sucesso (que não devem ser pautados por alguém, mas sim por você próprio).
Imagina se você não tivesse passado por todas as dificuldades até hoje? Quem você seria?

Deixe um comentário

Bitnami